Compartilhar investimento uma ótima opção

Postado em: 06/07/2018 | Por:

Compartilhar investimento uma ótima opção

De tempos em tempos, uma nova crise assola o Brasil. O recente tumulto por conta do aumento nos preços de combustíveis, por exemplo, reforça uma tendência cada vez maior na necessidade de poupar capital. Nesse cenário, uma estratégia interessante para investidores é compartilhar investimento.

Quem deseja ter um patrimônio precisa saber como aplicar dinheiro de forma inteligente para fugir da crise. A economia compartilhada é uma forma de poupar sem deixar de adquirir bens e experiências singulares. É possível aproveitar barcos, casas, helicópteros e muito mais, possibilitando inclusive o acesso a itens de alto padrão.

Se você ainda não sabe como compartilhar investimento, fique atento para descobrir como é feita a divisão dos bens!

A economia compartilhada e seu conceito

Compartilhar investimento é uma estratégia muito simples. O valor total do bem ou serviço é dividido em partes iguais, que ficam disponíveis para a compra individualmente. O direito de uso, assim, passa a ser compartilhado e estabelecido por período de tempo.

A economia compartilhada é uma forma de facilitar o acesso a itens de luxo sem a necessidade de investir o valor integral. Há várias empresas no mercado que já investem na venda de itens compartilhados e a estratégia de fato se torna cada vez mais procurada diante de tantos momentos de crise que o Brasil tem enfrentado nos últimos anos.

Aqui, há uma ressalva no conceito de investimento, que é feito mais no objetivo de usufruto do que de gerar lucros. Porém, o investidor pode sim alugar o item durante o seu período de uso, quando for de seu interesse.

Compartilhar investimento se torna uma estratégia inteligente quando o comprador deseja aproveitar um bem, mas:

  1. não pode investir o valor total do produto, tornando-se interessante para poupar capital;
  2. não pretende usá-lo periodicamente, como no caso de casas na praia, que ficam paradas boa parte do tempo durante o ano.

O conceito de economia compartilhada também se estende para o aluguel de itens. Há várias empresas, sites e aplicativos que permitem ao proprietário disponibilizar seu produto para aluguel e gerar renda com ele em curtos períodos de tempo.

Esse é o caso de empresas como o AirBnB e até o Uber. No caso dos veículos, o proprietário que tem interesse em alugar seu carro pode inclusive checar o PegCar, onde o veículo fica à disposição de terceiros por um valor determinado.

Dicas para quem quer compartilhar investimento

Existe vários tipos de investimento compartilhado e a tudo depende de que item você deseja adquirir. Meios de locomoção, como lanchas e helicópteros precisam ser bem avaliados para evitar problemas por tempo de uso. Verificar as condições e a vida útil é sempre importante.

Nos imóveis, a localização também será determinante. Afinal, você quer que seu imóvel seja em uma região perfeita para aproveitar suas férias e períodos de lazer, certo? Mas fique atento também ao gerenciamento da propriedade.

Normalmente, as empresas responsáveis pela venda possuem uma administração responsável por cuidar do patrimônio e realizar reparos e manutenções técnicas sempre que necessário. É importante, então, garantir a qualidade da empresa que está vendendo as frações do item de desejo.

No mercado de luxo, existe um cuidado maior com o patrimônio, mas nunca é demais se precaver antes de investir. Em tempos de crise, fazer um investimento ruim será ainda mais prejudicial para o seu bolso!

Se você procura um lugar paradisíaco para investir em casas de praia, que tal conferir o Itacaré Paradise, no litoral baiano? Veja por que o empreendimento tem tudo para garantir o conforto das suas férias!