Preservação das espécies e o turismo de observação

Postado em: 04/10/2017 | Por:

Preservação das espécies e o turismo de observação

Hoje é dia 04 de Outubro, data dedicada ao Dia Mundial dos Animais. Por isso, queremos colocar em pauta a importância do cuidado com a natureza e a preservação das espécies. O turismo em locais ricos em diversidade deve sempre ser pensado estrategicamente de forma sustentável.

A exploração indiscriminada das nossas matas – não só pelo turismo, mas de forma geral – já foi responsável pela extinção e risco de várias espécies. Precisamos ter em mente que cada tipo de animal tem a sua função na natureza e, assim sendo, a eliminação de um nicho do ecossistema pode causar uma desestabilização gigantesca, provocando o crescimento descontrolado de outras espécies.

Nós também somos afetados pela quebra do balanço ecológico. Um exemplo clássico é a criação de gado: os gases dos bois são grandes responsáveis pelo aquecimento global e diminuição da camada de ozônio.

Precisamos estabelecer um vínculo de responsabilidade com a natureza, prezando pelo desenvolvimento sustentável. É nessa linha de raciocínio que o ecoturismo se destaca cada vez mais entre os demais segmentos turísticos. Ele tem crescido muito, seguindo a tendência de preocupação pela preservação das espécies e da natureza.

O ecoturismo traz baixo impacto ambiental e instiga um contato maior entre o homem e a natureza. Dessa forma, ajuda a desenvolver maior consciência e preocupação ecológica. Afinal, pessoas conscientes tendem a tomar mais atitude em relação ao meio em que vivem.

Com o turismo ecológico, hábitos sustentáveis são incentivados, como a reciclagem de materiais, preocupação com a destinação do lixo, economia de água etc.

Turismo de observação

O turismo de observação é uma prática que se encaixa no ecoturismo. O próprio nome já deixa claro a sua definição: é uma forma de turismo em que o visitante interage com o meio ambiente para contemplar espécies, cenários, fenômenos e outros elementos naturais.

Sua origem está relacionada com os safáris africanos, que se tornaram comuns na década de 1960. Hoje, o turismo de observação se expandiu e ganhou força com o movimento de conscientização ambiental e preservação das espécies. As pessoas viajam para contemplar não só os animais, mas a natureza em si.

Em Itacaré, as mais de cem espécies de aves da mata ciliar são um dos destaques que recebem atenção dos turistas. A fauna da região possui uma rica biodiversidade, preservada por leis ambientais e pelas reservas que fazem parte da região.

O turismo de observação também tem grande destaque entre os meses de Julho e Novembro com a presença das baleias jubartes. Elas encantam os visitantes principalmente durante o inverno, quando chegam às encostas do litoral da cidade para reprodução. Com isso, é possível ouvir o canto dos machos para atrair as fêmeas e os espetáculos com suas piruetas e saltos.

Que tal conhecer um pouco mais sobre a APA (Área de Proteção Ambiental) Itacaré/Serra Grande?